Já ouviu falar em WCM – World Class Manufacturing? Essa metodologia tem por objetivo melhorar os processos de produção, visando à excelência operacional. A estratégia se torna cada vez mais relevante na medida em que a indústria se esforça para reduzir seus custos e garantir maior competitividade no mercado. Entenda melhor o que é, como funciona e como o WCM pode ser aplicado no seu negócio!

O que é World Class Manufacturing (WCM)?

O WCM é um programa de excelência operacional desenvolvido pelo Grupo Fiat e tem seu foco na qualidade dos meios de produção. Ele é baseado em 10 pilares técnicos e 10 pilares gerenciais, que norteiam todo o programa.

Pilares técnicos

  1. Segurança ocupacional: criação de um ambiente seguro para as pessoas, com estratégias que reduzam os riscos de acidentes.
  2. Distribuição dos custos: as perdas são identificadas e eliminadas.
  3. Melhoria contínua: são adotadas ferramentas que possam mitigar as falhas e resolver problemas críticos.
  4. Manutenção autônoma e organização: promoção da eficiência operacional das máquinas, otimizando o espaço de trabalho para que os profissionais trabalhem o melhor possível.
  5. Manutenção do quadro de colaboradores: profissional, apta para desempenhar tarefas de grande dificuldade e exigência.
  6. Controle de qualidade: garantir melhores níveis na entrega dos produtos;
  7. Logística e atendimento ao cliente: definir estratégias para que o produto chegue até o usuário e o atendimento seja de excelência.
  8. Gestão de equipamentos: entender as demandas da empresa com antecedência, prevendo necessidades.
  9. Capacitação dos profissionais: esse desenvolvimento é fundamental para que os colaboradores possam melhorar o desempenho em sua performance.
  10. Responsabilidade ambiental: seguir as normas sobre o respeito aos recursos naturais e respeitar as legislações pertinentes.

Pilares gerenciais

  1. Compromisso da gerência: a gerência precisa demonstrar comprometimento com os resultados do programa.
  2. Compromisso com a organização, de uma forma geral.
  3. Definição de objetivos: devem ser claros e transparentes, sobretudo nas entregas.
  4. “Mapa de rotas”: esse instrumento dá melhores condições para que os processos de manutenção autônoma ocorram com maior facilidade.
  5. Escolha e designação dos melhores profissionais.
  6. Melhoria contínua: maior competência organizacional por buscar os melhores ajustes.
  7. Aspectos financeiro e de tempo: atenção dada ao planejamento financeiro da organização.
  8. Nível de detalhamento: especificar os aspectos mais adequados para a implementação dos problemas.
  9. Nível de expansão: entra o conceito de “ilhas de excelência”, que são áreas modelos que servem de padrão ou referência para a organização.
  10. Motivação dos operadores: também é necessário dar atenção à equipe para gerar engajamento nos projetos.

Como aplicar o WCM em sua empresa?

Para que o WCM possa ser aplicado na empresa, é importante que haja treinamentos e que a organização se prepare para essa nova metodologia. Treinar significa basicamente a implantação de programas de educação que disseminem os pilares do sistema pela organização.
Já no que se refere à organização, é fundamental que a empresa dê condições para que os colaboradores possam aplicar os pilares em seus processos. Isso significa que precisa ajustar suas operações para se adaptar a essa nova cultura.
Uma vez que o WCM é uma metodologia com foco na sustentabilidade, na qualidade e na produtividade, o programa pode trazer muitos benefícios às entregas da empresa, isso também se dá quando é aplicada na gestão da manutenção para elevar seus níveis de eficiência.
Entenda como o Manusis 4.0 pode ajudar na otimização dos seus processos e na adaptação ao WCM. Baixe gratuitamente e experimente!