Gestão de Manutenção

Quais são os desafios da manutenção industrial previstos para 2021?

A pandemia virou o cenário mundial de cabeça para baixo, afetando diversos setores da economia. Entenda os desafios da manutenção industrial nesse contexto!

Considerando a retomada da economia do país, a tendência é que a produção e a demanda cresçam durante esse ano. Mas isso não livra a área da manutenção industrial e facilities de obstáculos para retomar e acelerar as atividades.

Em vista disso, vamos apresentar alguns dos desafios da manutenção nesse cenário da pandemia que os gestores precisam ficar atentos. Acompanhe!

Incertezas econômicas

Apesar da disponibilidade do imunizante contra a COVID-19 e os planos de vacinação, toda a retomada é ainda muito incipiente.

O aquecimento das atividades industriais não depende apenas da retomada da economia. Mas também das iniciativas feitas pelos governantes e de ações no setor da saúde. Esse terreno irregular preocupa empresários, investidores e trabalhadores e gera ansiedade principalmente nesses desafios da manutenção.

Distanciamento social

Uma das medidas protetivas básicas contra a contaminação é o distanciamento social. Mesmo com a vacinação, esse cuidado ainda precisa permanecer durante algum tempo.

Assim, a volta às atividades na indústria e empresas em um contexto de distanciamento pode ser bastante desafiador, mas é necessário. Com o retorno ao trabalho, a manutenção e facilities são áreas indispensáveis para a continuidade dos negócios. Desse modo, é muito importante investir nessas áreas para atender a todas essas questões sem maiores problemas.

Por exemplo, usando um sistema de gestão de ativos que já esteja preparado para a indústria 4.0, como o Manusis 4.0, mais especificamente seu módulo Manusis Insights, voltando para analytics, machine learning e IA, é possível monitorar o número de pessoas em espaços físicos. Dessa forma, controlando esse número ou até mesmo automatizando processos de limpeza e higienização desses espaços de acordo com o número de circulação de pessoas. É a união de sensores, comunicação e um sistema de gestão de ativos provendo uma gestão inteligente e segura!

Trabalho home office

Com a pandemia, muitas indústrias alocaram seus profissionais em regime de home office. Em pouco tempo, elas perceberam as vantagens do modelo e muitas planejam manter a estratégia, pelo menos parcialmente. Pesquisadores da Deloitte, afirmam que existe uma tendência que 50% das pessoas em home-office, continuem trabalhando nesse modelo devido à aceleração do uso de tecnologias digitais.

No entanto, gerenciar equipes remotas não é fácil, tanto no que se refere ao controle das atividades, quanto na motivação dos colaboradores. Por isso, será a hora de buscar soluções eficazes para ajudar nesse novo modelo.

Que tal conhecer uma ferramenta de gestão da manutenção com recursos para gerenciamento remoto? Solicite uma demonstração do Manusis 4.0 e entenda como funciona a solução!

Gestão de ativos: uma necessidade da indústria moderna

Cada vez mais, a gestão de ativos ganha uma posição estratégica nas organizações. As empresas percebem a dependência que seus processos têm em relação aos seus ativos, sobretudo no que se refere ao potencial de cumprirem seus negócios.

Por isso, reservamos este artigo para mostrar a necessidade de continuar investindo na evolução desse setor, entender o papel da tecnologia nesse processo e como a otimização da gestão de ativos pode refletir positivamente em toda a indústria.

O que é e qual a importância da gestão de ativos?

A gestão de ativos consiste no mapeamento, planejamento, manutenção e gerenciamento de todos os bens tangíveis e não tangíveis de uma organização. A ideia é reunir todas as informações sobre esses ativos a fim de tomar decisões benéficas à empresa.

A relevância dos processos de gestão de ativos se justifica exatamente no grande montante de informações que o setor é capaz de reunir. Esses dados maximizam o ROI da empresa, agregam valor aos ativos e minimizam riscos.

Assim, os gestores sempre conseguirão atingir o máximo de aproveitamento de seus ativos, garantindo que haja um retorno satisfatório sobre os investimentos feitos. Além disso, os custos são reduzidos, uma vez que são menores as taxas de indisponibilidade, as paradas não planejadas e as manutenções corretivas, que são mais onerosas.

Outro ponto importante que fortalece a gestão de ativos é a necessidade de satisfazer aspectos legais e requisitos mínimos para garantir a conformidade e a segurança dos processos. Os profissionais do setor podem auxiliar a alta gestão a cumprir as normas.

Por que a gestão de ativos precisa evoluir?

Em primeiro lugar, vale ressaltar que a evolução sempre foi um movimento natural na história da indústria. Aliás, a palavra “evolução” está relacionada ao crescimento, desenvolvimento e aprimoramento constante.

Ao longo dos séculos, normalmente, essas mudanças e adaptações ocorriam de modo gradual. No entanto, vivemos hoje em um mundo globalizado. A evolução de processos na gestão de ativos ocorre muito rapidamente. A todo momento, novas tecnologias e inovações surgem.

Dessa forma, otimizar a gestão de ativos não é apenas benéfico para a empresa, mas também necessário para se manter competitivo no mercado. É importante que as indústrias busquem a excelência em seus serviços e produtos para alcançar a satisfação dos seus clientes, e isso só será atingido por potencializar seus recursos e ativos.

Qual o papel da tecnologia nessa evolução?

Podemos afirmar que a tecnologia está no centro da evolução da gestão de ativos. Sistemas de gerenciamento podem automatizar muitas das tarefas de planejamento do setor, auxiliando os profissionais na gestão das informações.

No cenário da Indústria 4.0, máquinas, dispositivos e sistemas podem ser conectados para trocar dados em tempo real, permitindo o monitoramento remoto, envio de alertas inteligentes e a tomada de decisões de modo mais ágil e eficiente.

Assim, fica a certeza da necessidade de continuar investindo na otimização da gestão de ativos. Trata-se de ação indispensável para empresas que desejam permanecer relevantes no mercado.

Quer saber como tomar o próximo passo para a evolução dos seus processos de gestão de manutenção? Experimente gratuitamente o Manusis 4.0 e entenda na prática as vantagens da tecnologia!

 

5 práticas que otimizam os processos de manutenção industrial

Muitos problemas operacionais que as empresas enfrentam poderiam ser evitados por investir mais em seus processos de manutenção. Uma rotina de manutenção sem o devido planejamento, gerenciada manualmente e sem uma tecnologia adequada pode gerar muitos erros que aumentam os custos de produção.

Pensando nisso, separamos algumas dicas indispensáveis para você otimizar seus processos de manutenção. Entenda quais as melhores práticas que têm contribuído para que as organizações alcancem resultados mais expressivos no setor!

1. Documentação de roteiros de manutenção

Os roteiros são planos que definem todas as etapas seguidas na manutenção de ativos. Em outras palavras, é um documento que detalha um passo a passo do que deve ser feito.

A vantagem desse documento é que ele funciona como um suporte para os mantenedores, servindo de guia para executar as tarefas de forma padronizada, segura e com qualidade.

Por exemplo, um bom roteiro ou plano de manutenção informa todos os pontos de lubrificação, rotinas de inspeção, trocas de produtos, vida útil de peças, entre outros.

2. Integração do planejamento da manutenção com a produção

É preciso que haja uma boa comunicação entre os diversos setores da empresa com a equipe de manutenção. Somente assim será possível alinhar as paradas para manutenções com o ritmo de produção.

Isso é muito importante porque a manutenção dos ativos representa uma pausa nos processos de produção. Dessa forma, é preciso determinar em conjunto qual o momento mais adequado para essa interrupção.

3. Controle de peças de reposição

As peças precisam estar prontamente disponíveis para troca. Isso é fundamental porque quanto maior o tempo de reposição, maiores as perdas pela indisponibilidade das máquinas.

Assim, muitas empresas preferem ter em seu estoque aquelas peças que, com recorrência, precisam ser substituídos. Outra dica é pesquisar fornecedores que possam prover os insumos da maneira mais ágil possível.

4. Monitoramento remoto

O acompanhamento das atividades de manutenção é uma ação fundamental para garantir a produtividade de profissionais em campo. Sistemas como o Tracksis, da Manusis, permitem o monitoramento dos mantenedores conforme se deslocam para efetuar a assistência técnica em diferentes unidades.

Com isso, o gestor tem mais condições de acompanhar o andamento das ordens de serviço, as dificuldades encontradas e todo o fluxo das atividades. Com isso, indicadores importantes são obtidos para auxiliar a tomada de decisões que darão o suporte para ajustes pontuais no planejamento da manutenção.

5. Adoção de tecnologias

A Indústria 4.0 é uma das grandes inovações da gestão da manutenção e representa um importante avanço tecnológico para o setor. As chamadas fábricas inteligentes, ao conectarem cada máquina à rede, geram um grande volume de dados que pode ser usado para otimizar o planejamento da manutenção.

Dessa forma, erros podem ser grandemente reduzidos, contribuindo para maior segurança, confiabilidade e agilidade às atividades de manutenção. Tudo isso se reflete nos resultados da produção como um todo.

Para isso, máquinas, dispositivos e sistemas são interligados para permitir a automação e garantir o compartilhamento de informações de modo mais fácil e ágil. Esse é um novo modelo que representa a Quarta Revolução Industrial.

Acreditamos que essas dicas, se colocadas em prática, são capazes de otimizar seus processos de manutenção. A ideia é investir em técnicas e tecnologias que possam facilitar as atividades e garantir melhores resultados para a gestão e os mantenedores.

Quer saber mais sobre como o Manusis 4.0 pode ajudar a aprimorar seus processos de manutenção? Baixe uma demonstração do software e confira!

 

 

Tendências para 2021 na indústria 4.0

Em 2020, fomos testemunhas de acontecimentos sem precedentes em nossa história. A pandemia do coronavírus gerou impactos profundos na economia mundial e no comportamento das pessoas. Apesar das grandes perdas, a crise forçou uma aceleração tecnológica em todo o mundo. Por isso, as tendências da indústria 4.0 para 2021 indicam que esse progresso deve continuar.

Por isso, para preparar você para esse tão esperado período pós-pandemia, entenda melhor o que está por vir no setor industrial. Entenda como essas tendências podem impactar muito positivamente os meios de produção!

Simulação

Uma das grandes necessidades no mercado industrial é a simulação de cenários a fim de planejar a demanda de produção. Essa limitação ficou clara na pandemia do coronavírus, uma vez que as empresas não conseguiram prever o volume de saída de muitos itens, gerando carências no público consumidor.

Os sistemas hoje existentes se baseiam em dados históricos para fazer previsões. Ao se deparar com um cenário nunca visto, os cálculos não bateram. Por isso, a tendência da indústria é buscar modelos mais inteligentes para fazer simulações a fim de prever cenários menos previsíveis.

Manufatura aditiva

Uma das tendências é a manufatura aditiva. Ela consiste na criação de objetos sólidos tridimensionais a partir de projetos de modelos digitais. Essa tecnologia acolhe principalmente a impressão 3D, uma tecnologia que constrói objetos fazendo sobreposição de diversas camadas de um material.

Não temos aqui uma nova tecnologia, mas o que temos visto até agora é que a impressão 3D é muito utilizada na produção de pequenos projetos. A tendência, porém, é que ela seja aplicada em grandes volumes.

Inovação verde

A cada ano, a preocupação com o impacto do processo produtivo sobre os recursos naturais é crescente. Por isso, é natural que os conceitos de sustentabilidade e inovação verde se tornem ainda mais presentes nos produtos e nos meios de produção.

Essa tendência traz a ideia da inovação verde, que é tentar encontrar um equilíbrio entre a vantagem econômica e a preservação do meio ambiente. Em 2021, essa discussão continua e renderá bons frutos aos recursos naturais do planeta.

Crescimento do 5G e fábricas inteligentes

A indústria 4.0 ganhará ainda mais força com o 5G. Esse tipo de conectividade trará muitas vantagens operacionais para as fábricas inteligentes, uma vez que a os dispositivos sem fio ganharão uma tecnologia que garantirá maior qualidade e velocidade. Apenas para se ter uma ideia, o 5G permite downloads cerca de 82 vezes mais ágeis que o 4G.

As redes 5G prometem dar uma base muito sólida para as indústrias do futuro. Hoje, o ethernet ainda predomina na infraestrutura de muitas indústrias. Porém, esse cabeamento representa altos custos de manutenção e instalação.

O 5G, por outro lado, além de aumentar a velocidade de comunicação entre os dispositivos, permite que os gestores utilizem o máximo do potencial da Internet das Coisas, automatizando uma infinidade de processos.

Aprendizagem de máquina

Outra tendência para 2021 é o machine learning. Isso tornará os sistemas EAM mais proativos, será usado para definir os perfis e interesses de cada tipo de notificação para cada pessoa, gerando oportunidades de novas de intervenções para mitigar os efeitos de paradas dos equipamentos.

O objetivo é que sistemas EAM sejam capazes de adquirir e integrar o conhecimento de forma autônoma. Assim o aprendizado de máquina mapeia o comportamento dos equipamentos e seus componentes, a fim de detectar situações diferentes do padrão, que possam se tornar uma falha ou um ponto de manutenção. À medida que o sistema é exposto a novos dados, um algoritmo inteligente desenvolve respostas a partir de uma análise estatística.

O machine learning criará parâmetros de notificações, além de possibilitar levantar informações que atualmente não estão disponíveis. O maior benefício dessa tecnologia é oferecer aos gestores dados qualificados, em tempo real, permitindo a tomada de decisão de maneira mais assertiva e com maior agilidade, objetivando que os processos de planejamento e programação de manutenção sejam aprimorados.

Digital twin

O Digital twin ou gêmeo digital é uma versão virtual de um equipamento físico. Essa versão digital inclui um modelo de dados que permite testes de um equipamento. Será utilizado para avaliação técnica de máquinas e equipamentos.

Através da utilização dessa tecnologia será possível prever as consequências de determinadas ações, antes mesmo de serem colocadas em prática. Haverá uma combinação de dados do equipamento, que traçará simulações e análises que permitirão obter informações relevantes sobre situações presentes e futuras.

Os principais benefícios do digital twin serão a assertividade e a possibilidade da previsibilidade, isso porque a cópia virtualizada simulará condições reais da operação. Aplicada a manutenção de equipamentos com maior complexidade permitirá o teste de materiais alternativos ou materiais passíveis de substituição.

Outra inovação será que o digital twin poderá ser combinado com o machine learning, onde estima-se que o aprendizado seja de forma mais rápida, a partir da versão virtual, oferecendo alternativas, bem como realizando previsões a partir de do uso de algoritmos programáveis e com recursos de inteligência artificial específica para cada equipamento.

Realidade aumentada

A realidade aumentada (RA), outra tendência, é uma tecnologia que sobrepõe objetos virtuais no mundo real de forma integrada ao ambiente em que você está. Um benefício da realidade aumentada é que permitirá simular tarefas, gerando oportunidades de interação entre o mundo real e o virtual.

O foco dessa tecnologia são funcionalidades que permitem a projeção de figuras, objetos e componentes num cenário virtual. Tornando possível a coexistência do real e digital, de forma gerar uma integração com aquilo que está fora do alcance do físico. Na manutenção de máquinas e equipamentos essa tecnologia permitirá ao colaborador obter auxílio remoto de especialistas, além da visualização e instrumentos diretamente no display do dispositivo, com a possibilidade de resolução mais ágil e assertiva.

Os benefícios estimados da realidade aumentada é a melhora na eficiência produtiva e maior assertividade nas ações de manutenções, com a visualização de soluções.

Nada vai mudar de um ano para outro. Em 2021, o desafio continua, mas a luz no fim do túnel se torna cada vez mais próxima. Nesse cenário, a indústria tem um importante papel em fornecer soluções e tendências inovadoras nos meios de produção, a fim de garantir o atendimento à crescente demanda.

Quer participar desse crescimento? Então, entenda como migrar seus processos de manutenção para as tendências atuais do digital por meio do Manusis 4.0. Acesse nosso portal e baixe gratuitamente uma demonstração da nossa solução!

 

Qual o papel da tecnologia na gestão de ativos?

A eficiência de uma empresa depende em grande parte de sua capacidade de tirar o máximo de proveito de seus ativos operacionais. Com o intuito de aprimorar esse controle, as organizações têm investido cada vez mais em tecnologia na gestão de ativos.

A tecnologia na gestão se refere principalmente a softwares que organizam as informações e automatizam algumas tarefas de gerenciamento. Mas qual a relação entre essas ferramentas e os ganhos obtidos na gestão de ativos? É sobre isso que vamos falar neste artigo!

O que é gestão de ativos?

A gestão de ativos compreende uma série de práticas que dão maior controle e visibilidade sobre todos os bens da empresa, gerenciando todo o seu ciclo de vida. Esses bens podem ser corpóreos, como equipamentos, máquinas, instalações e mobiliário, ou podem ser incorpóreos, como imagem da marca, expertise no mercado e informações.

A gestão de ativos tem como objetivo manter os bens sempre organizados, atualizados e disponíveis, garantindo que estejam nas melhores condições para gerar renda ao negócio ou dar base ao trabalho produtivo das equipes.

Uma das principais formas de otimizar essa gestão é por meio da tecnologia. Sistemas de gestão de ativos podem automatizar muitas tarefas, trazendo resultados rápidos e consistentes no controle dos bens.

Que vantagens é possível alcançar com tecnologia na gestão de ativos?

Vamos destacar aqui os principais ganhos que a empresa pode alcançar implementando tecnologias na gestão de ativos. Confira!

Aumento da produtividade

O sentido básico da produtividade é a redução de tempo para a realização das atividades e o aumento de volume de tarefas concluídas. Em outras palavras, é fazer mais em menos tempo, sem perder qualidade. Esse é um ganho importante da tecnologia.

Sistemas de gestão de ativos organizam as informações, facilitam a comunicação entre os operadores e automatizam diversas funções de controle. Assim, a equipe ganha tempo, dedicando-se menos a tarefas burocráticas e focando no que é mais importante.

Redução de despesas

As tecnologias de gestão também são capazes de reduzir custos operacionais. Em primeiro lugar, um controle aprimorado da manutenção reduz as falhas dos equipamentos, aumentando a disponibilidade dos ativos e diminuindo manutenções corretivas, que são mais onerosas.

Além disso, é possível reduzir os riscos de acidentes que poderiam comprometer a integridade da equipe. Respeitando as normas, a empresa evita pagar indenizações e multas.

Mobilidade

A mobilidade na gestão de ativos é especialmente importante para empresas que têm várias unidades ou que mantêm colaboradores em campo. Afinal, controlar as atividades fora dos muros da organização pode ser um grande desafio.

Isso é possível por meio de aplicativos móveis, que ajudam a compartilhar informações com colaboradores que estejam fazendo manutenções fora da empresa.

Monitoramento remoto

Outro ganho da tecnologia da gestão de ativos é o monitoramento em tempo real de equipes, instalações e equipamentos. Antes, só era possível acompanhar as atividades estando fisicamente presentes. Porém, os novos recursos permitem saber onde estão os colaboradores, que tarefas já foram realizadas, quais estão pendentes e como está o andamento das atividades.

A tecnologia na gestão de ativos veio para trazer maior produtividade, praticidade e eficiência ao setor. Trata-se de um investimento natural para as empresas que desejam ter processos aprimorados e assim ganhar maior competitividade no mercado.

Que tal conhecer essa tecnologia na prática? Baixe agora uma demonstração do Manusis 4.0 e entenda melhor como o sistema funciona!

 

Por que um sistema de gestão de manutenção e ativos é tão importante para as empresas?

Quando falamos em gestão de ativos, estamos nos referindo a um conjunto de práticas adotadas pelas empresas a fim de gerenciar os bens que possui. Para garantir sua competitividade no mercado, é importante adotar uma tecnologia que possa facilitar todo esse controle. É aí que entra o sistema de gestão de manutenção e ativos. Sua empresa já conta com esse software?

Neste artigo, você vai entender melhor como funciona esse sistema e quais as vantagens práticas que é possível alcançar ao implementar essa tecnologia!

O que é um sistema de gestão de manutenção de ativos?

Um sistema de gestão de manutenção de ativos é um software que direciona, controla e coordena as atividades da gestão de ativos. Dessa forma, ele coleta e analisa os dados de todos os ativos da organização a fim de garantir maior confiabilidade nas tarefas de manutenção.

Assim, um sistema especialista em manutenção auxilia os gestores nas quatro principais etapas:

  • planejar as atividades de gestão de ativos, reunindo todos os dados necessários sobre a infraestrutura e os equipamentos;
  • sistematizar e automatizar diversas tarefas de manutenção, gerenciando as ordens de serviço de forma eficiente;
  • monitorar todas as atividades em tempo real, tendo uma visão mais clara do ciclo de vida de ferramentas, equipamentos e instalações;
  • aprimorar todas as atividades por detectar, investigar e eliminar falhas, implementando ações de melhorias para alcançar processos mais coesos, enxutos e eficientes.

Para fazer tudo isso, o sistema de gestão de manutenção e ativos conta com uma interface muito intuitiva, fácil de gerenciar. Aplicativos mobile também podem ser usados para facilitar o trabalho de mantenedores e gestores, tornando as informações acessíveis a toda equipe.

Qual a sua importância dentro da indústria?

Um sistema especialista para a gestão de manutenção e ativos pode garantir muitas vantagens para a empresa. O software pode otimizar bastante a rotina da equipe de manutenção, fornecendo maior produtividade.

Por exemplo, utilizar planilhas para organizar as informações pode ser pouco eficiente. Afinal, a tarefa manual pode ser bastante demorada, aumentando as chances de erros e ocupando o tempo da equipe no preenchimento de tabelas.

A inserção de informações por meio de um sistema dedicado é uma tarefa muito mais ágil e fácil. O próprio software já organiza os dados para uma avaliação posterior, além de reduzir erros humanos.

A automação de um sistema especialista também auxilia na tomada de decisões. O software emite relatórios automaticamente, levantando métricas importantes que informam a eficiência das operações. Fica fácil, por exemplo, determinar o MTBF e o MTTR dos equipamentos e enxergar mais claramente onde é preciso fazer ajustes para melhorar os resultados.

O sistema também emite alertas automatizados sobre o status das máquinas. Com a indústria 4.0 conectando todos os equipamentos a um sistema gerencial, fornecendo informações em tempo real, é possível coletar dados sobre temperatura, consumo energético, nível de falhas e produtividade.

Um sistema de gestão de manutenção e ativos garante muitas vantagens para a indústria. Com a crescente demanda do mercado e a maior exigência por qualidade e confiabilidade dos equipamentos, esse tipo de software se torna uma escolha inevitável para as organizações.

Quer saber mais sobre como esse sistema funciona na prática? Baixe uma demonstração gratuitamente e experimente!

 

WCM: o que eu preciso saber para aplicar na minha empresa?

Já ouviu falar em WCM – World Class Manufacturing? Essa metodologia tem por objetivo melhorar os processos de produção, visando à excelência operacional. A estratégia se torna cada vez mais relevante na medida em que a indústria se esforça para reduzir seus custos e garantir maior competitividade no mercado. Entenda melhor o que é, como funciona e como o WCM pode ser aplicado no seu negócio!

O que é World Class Manufacturing (WCM)?

O WCM é um programa de excelência operacional desenvolvido pelo Grupo Fiat e tem seu foco na qualidade dos meios de produção. Ele é baseado em 10 pilares técnicos e 10 pilares gerenciais, que norteiam todo o programa.

Pilares técnicos

  1. Segurança ocupacional: criação de um ambiente seguro para as pessoas, com estratégias que reduzam os riscos de acidentes.
  2. Distribuição dos custos: as perdas são identificadas e eliminadas.
  3. Melhoria contínua: são adotadas ferramentas que possam mitigar as falhas e resolver problemas críticos.
  4. Manutenção autônoma e organização: promoção da eficiência operacional das máquinas, otimizando o espaço de trabalho para que os profissionais trabalhem o melhor possível.
  5. Manutenção do quadro de colaboradores: profissional, apta para desempenhar tarefas de grande dificuldade e exigência.
  6. Controle de qualidade: garantir melhores níveis na entrega dos produtos;
  7. Logística e atendimento ao cliente: definir estratégias para que o produto chegue até o usuário e o atendimento seja de excelência.
  8. Gestão de equipamentos: entender as demandas da empresa com antecedência, prevendo necessidades.
  9. Capacitação dos profissionais: esse desenvolvimento é fundamental para que os colaboradores possam melhorar o desempenho em sua performance.
  10. Responsabilidade ambiental: seguir as normas sobre o respeito aos recursos naturais e respeitar as legislações pertinentes.

Pilares gerenciais

  1. Compromisso da gerência: a gerência precisa demonstrar comprometimento com os resultados do programa.
  2. Compromisso com a organização, de uma forma geral.
  3. Definição de objetivos: devem ser claros e transparentes, sobretudo nas entregas.
  4. “Mapa de rotas”: esse instrumento dá melhores condições para que os processos de manutenção autônoma ocorram com maior facilidade.
  5. Escolha e designação dos melhores profissionais.
  6. Melhoria contínua: maior competência organizacional por buscar os melhores ajustes.
  7. Aspectos financeiro e de tempo: atenção dada ao planejamento financeiro da organização.
  8. Nível de detalhamento: especificar os aspectos mais adequados para a implementação dos problemas.
  9. Nível de expansão: entra o conceito de “ilhas de excelência”, que são áreas modelos que servem de padrão ou referência para a organização.
  10. Motivação dos operadores: também é necessário dar atenção à equipe para gerar engajamento nos projetos.

Como aplicar o WCM em sua empresa?

Para que o WCM possa ser aplicado na empresa, é importante que haja treinamentos e que a organização se prepare para essa nova metodologia. Treinar significa basicamente a implantação de programas de educação que disseminem os pilares do sistema pela organização.

Já no que se refere à organização, é fundamental que a empresa dê condições para que os colaboradores possam aplicar os pilares em seus processos. Isso significa que precisa ajustar suas operações para se adaptar a essa nova cultura.

Uma vez que o WCM é uma metodologia com foco na sustentabilidade, na qualidade e na produtividade, o programa pode trazer muitos benefícios às entregas da empresa, isso também se dá quando é aplicada na gestão da manutenção para elevar seus níveis de eficiência.

Entenda como o Manusis 4.0 pode ajudar na otimização dos seus processos e na adaptação ao WCM. Baixe gratuitamente e experimente!

Manusis 4.0 + Greenole: Conectamos pessoas com os seus ativos, através de dados

Conectamos pessoas com os seus ativos, através de dados

Somos uma empresa de tecnologia com foco em integração das diferentes soluções de automação e gestão de ativos em uma única plataforma que monitora e controla em tempo real, prediz comportamentos e falhas e interage com os utilizadores, tornando os processos autônomos.

 

  • Utilização de 2 soluções especialistas e complementares em única solução!
  • Ideal para operações críticas que desejam aumentar a sua eficiência operacional, reduzindo custos energéticos e de manutenção, minimizando riscos de paradas não planejadas e potencializando a experiência dos usuários

Manusis Insights e Greenole , unindo tecnologias para que o cliente tenha a melhor experiência em gestão de seus ativos

Monitoramento
Concentre-se em descobrir e descrever o que aconteceu no passado.

Diagnóstico
Concentre-se em por que algo aconteceu.

Preditiva
Concentre-se em estimar o que acontecerá no futuro.

Prescritiva
Concentre-se em abordar o que precisa ser feito a seguir.

Clique aqui para baixar o PDF e saber mais

Como a gestão de ativos ajuda uma empresa a ser mais produtiva

Você sabe como a gestão de ativos pode elevar a produtividade da sua empresa? Leia o artigo e entenda essa relação!

Produtividade é a palavra que povoa o vocabulário das empresas de forma intensa e frequente. Essa ideia está intimamente relacionada à capacidade de ser eficiente e de produzir mais em menos tempo, demandando cada vez menos recursos. Mas será que é possível ter mais produtividade com a gestão de ativos?

Pensando nessa questão, vamos apresentar para você o conceito de gestão de ativos e explicar melhor a relação dessa atividade om a produtividade da empresa. Continue a leitura e saiba mais!

O que é gestão de ativos?

Antes de compreender mais sobre o assunto, é importante saber o que é um ativo. Um ativo nada mais do que é um bem que a empresa possui e precisa gerenciar. Esse conceito é bastante amplo porque pode se referir tanto a materiais tangíveis, como computadores e máquinas, como a bens intangíveis, como softwares, investimentos ou mesmo ideias.

Assim, quando falamos de gestão de ativos, o objetivo é manter o controle sobre os bens (tangíveis ou não) de forma a tirar deles o máximo de proveito ou valor. Sendo assim, encontraremos na gestão de ativos atividades como gestão de frotas, planejamento de investimentos, manutenção de equipamentos e até balanceamento de custos.

Qual a vantagem dessa atividade?

Quando a empresa não mantém boas práticas de gestão de ativos, o resultado são desperdícios econômicos e perda de ganho operacional. Afinal, ela não usa os recursos que tem ao seu dispor para tirar o máximo de sua produtividade. E é nesse ponto que chegamos à próxima questão.

Como ganhar mais produtividade com a gestão de ativos?

As práticas de uma boa gestão trazem resultados visíveis para a indústria. Equipamentos bem gerenciados, com a manutenção em dia, conseguem manter um bom desempenho, sem paradas inesperadas. As falhas também são reduzidas ao máximo. Além disso, os recursos são melhor empregados, investindo em aspectos que possam promover o crescimento do negócio.

O Manusis 4.0 é uma das ferramentas mais eficientes do mercado para dar suporte à gestão de ativos na manutenção. A solução foi utilizada pelo Burger King para aprimorar seus processos internos, o que trouxe resultados muito significativos.

Solicite uma demonstração e teste você mesmo os recursos do Manusis 4.0!

 

Manutenção preventiva: descubra por que ela é indispensável

O que é e qual a importância da manutenção preventiva? É sobre isso que você vai entender melhor neste artigo!

Para garantir o bom funcionamento dos ativos, existem três intervenções possíveis: a manutenção preventiva, a manutenção corretiva e o modelo preditivo. Cada um deles tem seu valor e aplicação dentro da indústria.

Neste artigo, vamos destacar a importância da manutenção preventiva para os meios de produção. Entenda melhor o impacto dessa prática e os ganhos que é possível obter.

O que é manutenção preventiva?

O modelo preventivo consiste em manutenções feitas nos equipamentos em períodos planejados, conforme as recomendações do fabricante. Isso ocorre antes mesmo que qualquer falha ocorra. Afinal, o objetivo é prevenir problemas ao reduzir a degradação da máquina e, consequentemente, aumentar sua vida útil.

Qual a sua importância?

A manutenção preventiva é uma ação estratégica para a empresa evitar paradas não programadas, que poderiam resultar em perdas significativas na produção. Assim, é possível ter um controle maior das atividades, planejando a troca de peças e a compra de insumos. Além disso, não será necessário manter no estoque equipamentos sobressalentes para repor em falhas inesperadas.

Qual seu impacto na indústria?

É fácil concluir que prevenir problemas é melhor do que arcar com os custos de um reparo. Dessa forma, além de economizar, a empresa consegue garantir maior confiabilidade de seus equipamentos e de seus processos.

A indústria verá também um aumento significativo no índice de disponibilidade dos equipamentos. Também vai ficar muito mais fácil fazer previsões no orçamento.

E na sua empresa, você conta com um plano de manutenção preventiva consistente? Conheça o Manusis 4.0 e entenda como essa ferramenta pode ajudar seu negócio na gestão da manutenção!

 

pt_PTPortuguês