Como elaborar um Plano de Rotas de Inspeção em 4 passos básicos?

Como elaborar um Plano de Rotas de Inspeção em 4 passos básicos?

Aprenda a definir um plano de rotas para cada ativo seguindo este passo a passo!
Em seu conceito fundamental, inspecionar é verificar, checar e principalmente observar se os equipamentos se encontram em suas condições ideais conforme recomendações do fabricante ou mesmo preestabelecidas pela própria empresa.
Mas qual é o papel e o impacto da inspeção nas estratégias de gestão da manutenção?
A importância da inspeção
A inspeção é um importante ponto na gestão da manutenção, isso porque identifica falhas antes mesmo destas acontecerem, o que se conhece por ”estado de falha”, diminuindo o ônus com manutenções corretivas e possíveis paradas no processo produtivo.
Faz parte do processo de inspeção o registro das anomalias identificadas e as ações para promover a sua eliminação, evitando sua reincidência.
Rotas de Inspeção
As rotas de inspeção são criadas visando maximizar o tempo, a segurança e a produtividade da execução. São atividades com periodicidade variável (diária, semanal, mensal, bimestral, etc.) que são executadas com o objetivo de detectar falhas antes que elas ocorram.
Para isso, alguns questionamentos devem ser respondidos:

  • Qual o caminho mais lógico a ser seguido?
  • Quais são os pontos vitais a serem inspecionados?
  • Quais os riscos à segurança pessoal existem no local?
  • O que deve ser inspecionado?
  • Quais os parâmetros devem ser seguidos?
  • Quais ferramentas serão utilizadas?
  • Quais EPIs serão necessários?

Plano de Rotas
Os planos de rotas servem para sistematizar tarefas de manutenção que devem ser executadas baseadas em uma periodicidade definida de acordo com a necessidade e as particularidades do processo produtivo.
É elaborado baseado na importância e criticidade dos equipamentos do processo produtivo, sendo cuidadosamente estudado a fim de estabelecer procedimentos que visam evitar que as falhas ocorram.
Com o plano de rotas em mãos, podemos entender quais serão as atividades pertinentes e qual a periodicidade em que devem ser executadas. Assim, quando a data de execução estiver próxima, a ordem de rota é gerada e executada pelo profissional ou equipe responsável.
Elaboração do Plano de Rotas
O plano de rotas será o principal guia utilizado pelos responsáveis pela inspeção toda vez em que a atividade for realizada. Por isso, deve ser de fácil entendimento e priorizar a coleta das informações chave para identificar possíveis falhas.
Defina um plano de rotas para cada ativo seguindo alguns passos:
PASSO 1 – O QUE? – Definição da Atividade
Identifique qual atividade será realizada.
PASSO 2 – QUANDO? – Definição da Periodicidade
Defina a periodicidade a qual a atividade deverá ser realizada, tendo em vista a frequência de uso do ativo, histórico de funcionamento e falhas e, principalmente, o impacto que o ativo tem sobre o processo produtivo. Pontos críticos e que podem causar prejuízos ao processo devem ser acompanhados com maior frequência.
PASSO 3 – QUEM? – Indicação da Mão de Obra
Defina quem irá executar as tarefas previstas. Para isso, avalie o tipo da tarefa e qual especialidade o inspetor deverá ter para melhor executá-la. Nesse aspecto, capacitações específicas podem ser requisitadas, por isso treinamentos de pessoal podem se tornar necessários.
Nesse ponto, estime também o tempo necessário para a execução.
PASSO 4 – ONDE? – Definição dos Pontos de Inspeção
Qual é o objeto da manutenção? Defina qual equipamento será inspecionado e em relação a quais pontos.
Leia também: quais são os itens que compõem o orçamento da Manutenção?

pt_PTPortuguês
pt_BRPortuguês do Brasil pt_PTPortuguês