Gestão de Manutenção

Saiba como a Indústria Farmacêutica garante confiabilidade com a gestão de manutenção

Em 2019, o varejo de produtos farmacêuticos movimentou um total de R$ 120,98 bilhões, representando um crescimento de 7,60%, segundo dados da Febrafar (Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias). Para promover um crescimento sustentável, é importante que a produção mantenha a qualidade e a confiabilidade dos processos. Nesse contexto, o setor de manutenção da indústria farmacêutica é indispensável.

Neste artigo, você vai entender melhor a importância do gerenciamento de ativos nos processos de produção e quais as melhores práticas recomendadas!

Qual a importância da gestão de ativos na indústria farmacêutica?

A indústria farmacêutica cumpre um papel indispensável para a saúde e o bem-estar da população. Por meio de pesquisas, da produção e da comercialização de medicamentos, o setor tenta atender às demandas dos consumidores não só em tratamentos de doenças, mas também em procedimentos estéticos — um mercado cada vez mais forte.

Lidar com a saúde do cliente é um grande desafio, uma vez que falhas podem comprometer a integridade das pessoas. Por isso, é necessário alcançar padrões rigorosos de qualidade para evitar problemas e garantir competitividade no mercado.

Nesse cenário, o bom gerenciamento de ativos na linha de produção pode garantir não só a disponibilidade dos equipamentos, mas também que essas máquinas funcionem dentro dos padrões normativos.

Por isso, a manutenção na indústria farmacêutica busca a disponibilidade dos equipamentos, dos serviços e das instalações, tentando estrategicamente reduzir custos e aumentar a segurança técnica e a confiabilidade de todos os processos.

Quais os tipos de manutenção que garantem a confiabilidade?

Existem basicamente três tipos de manutenção amplamente adotados nas indústrias:

  • corretiva: ocorre quando o equipamento apresenta uma falha para que então seja feita a correção;
  • preventiva: serviço feito para evitar ou reduzir as ocorrências de falhas que no desempenho das máquinas;
  • preditiva: consiste no acompanhamento contínuo da performance dos equipamentos para programar intervenções de maneira mais incisiva, reduzindo assim a manutenção corretiva e preventiva.

Todos esses tipos de manutenção podem ser adotados pela indústria farmacêutica, seguindo sempre boas práticas de aplicação. Entre eles, a manutenção preditiva e a preventiva se destaca, pois conseguem determinar precisamente quando haverá uma parada. Alguns procedimentos aqui envolvem analisar:

  • as alterações de pressão;
  • a contaminação de óleos;
  • a variação de temperaturas;
  • a vibração das máquinas.

Uma vez que os laboratórios precisam atuar com alta precisão, segundo as normas da Anvisa, é preciso implementar uma gestão de manutenção bastante detalhada. Um dos principais procedimentos nesse sentido é a calibração que, segundo as normas de qualidade, como a ISO 9001, deve ser feita em todos os instrumentos que impactam o controle de processos da empresa.

Outra boa prática é a adoção de sistemas de gerenciamento de ativos, que organizam todas as informações sobre a manutenção dos equipamentos da indústria, especialmente útil na produção em grande escala de remédios.

gestão da manutenção da indústria farmacêutica é uma atividade fundamental para garantir maior confiabilidade em todos os processos do desenvolvimento de produtos. Por isso, adote tecnologias de gerenciamento que possam otimizar essa prática e, assim, evitar erros que poderiam comprometer a reputação do negócio.

Que tal experimentar gratuitamente um software de gerenciamento de ativos? Acesse nosso portal e solicite o MANUSIS 4.0!

5 dicas de como gerenciar Ativos e Facilities na sua empresa!

Todos sabemos que o gerenciamento de ativos, de manutenção e de facilities está diretamente ligado à segurança dos usuários. Com a pandemia do coronavírus, perceberemos uma mudança drástica no comportamento dos usuários de locais públicos, impondo aos gestores e demais profissionais ainda mais organização e agilidade na gestão de equipamentos e infraestruturas.

Por isso, neste artigo vamos apresentar algumas das principais práticas que garantem um gerenciamento mais otimizado e resultados expressivos no setor. Continue a leitura e saiba mais!

Entenda a importância do gerenciamento de ativos e facilities

A gestão de ativos e facilities acolhem o planejamento e a execução de um conjunto de ações que garantem conforto, segurança, higiene, manutenção e toda a infraestrutura necessária para que os usuários de um ambiente possam cumprir suas funções.

O gerenciamento de todas essas atividades contribui para a redução de custos do negócio, o aumento da produtividade dos colaboradores e a integridade física de todos os envolvidos. Embora não estejam relacionadas ao core business da empresa, sem uma gestão adequada dos ativos, todo o fluxo produtivo pode ficar comprometido.

Conheça 5 formas de gerenciar ativos e facilities

1. Preze pela manutenção preventiva

A manutenção preventiva dos equipamentos e da infraestrutura da empresa garante uma durabilidade maior dos ativos e representa mais segurança para os usuários.

Tudo isso precisa ser gerenciado por meio de um cadastro centralizado que detalhe a vida útil e as recomendações dos fabricantes. Dessa forma o gestor poderá traçar planos de manutenção com bastante antecedência.

2. Invista em IoT

A Internet das Coisas é um recurso bastante inovador para os gerentes de ativos e facilities. Eles facilitam o monitoramento das instalações e equipamentos por meio de sensores inteligentes que coletam e transmitem informações remotamente.

Algumas das possibilidades são gerenciamento de trajetos de frotas, câmeras inteligentes que detectam a presença de pessoas em áreas inteligentes, identificação facial e até mesmo gestão de limpeza.

Gostaria de conhecer uma solução aplicada e tecnologias disponíveis? Clique aqui e agenda uma videoconferência com nossa equipe de tecnologia!

3. Adote uma plataforma de gestão

Já falamos sobre o cadastro centralizado, e as plataformas de gestão levam essa prática a outro nível. Elas maximizam a capacidade do gestor de monitorar todas as operações, pois automatizam muitas funções, emitindo alertas, facilitando o planejamento das operações e detectando falhas.

4. Monitore e avalie as operações e a infraestrutura

Avaliar os facilities na empresa e as operações de manutenção é fundamental para determinar até que ponto suas atividades estão apresentando resultados satisfatórios.

Da mesma maneira, é importante monitorar os ativos para averiguar se o desempenho está dentro dos padrões. É possível comparar com registros anteriores a fim de identificar falhas e possíveis desvios.

5. Trabalhe em cima de melhoria contínua

A infraestrutura e os equipamentos devem ser mantidas em condições que sejam tecnicamente e economicamente vantajosas. Assim, a gerenciamento de manutenção deve trabalhar no sentido de garantir um bom desempenho desses ativos.

Ao mesmo tempo, o gerenciamento de facilities deve garantir não somente a viabilidade operacional. É importante também buscar a saúde, a segurança e a satisfação dos usuários. As pessoas estão cada vez mais preocupadas com saúde e higiene, de modo que manter os ambientes e instalações limpos e seguros se torna uma prioridade.

Gostou das dicas? Então aproveite para assinar nossa newsletter para receber nossos conteúdos na sua caixa de entrada sempre que tivermos novidades por aqui!

Gestão de Projetos. Ambiente 100% colaborativo, informações essenciais para quem precisa

A Gestão de Projetos é um processo essencial da Gestão Holística da vida útil de uma ativo, segundo a séries de normas ISO 55.000. Através da gestão de um projeto que nasce uma nova máquina, um novo hospital, uma nova fábrica ou uma simples reforma para ganhos de eficiência. É nesse momento, que se dimensiona um investimento, determina-se a confiabilidade do ativo e pode-se calcular o retorno de investimento que seja mais vantajoso para a área financeira. Esse é o maior propósito de investimento em projeto, gerar valor para clientes e resultados para as partes envolvidas. O fato é que em uma rápida visita a empresas para conhecer os processos de área de projetos encontra-se, facilmente, os seguintes problemas:

  • Falta de comunicação;
  • Uso de softwares não colaborativos;
  • Falta de um processo adequado de gestão de solicitações de investimentos;
  • Falta de gestão por indicadores efetivos;
  • Gestão de escopo e alterações de escopos sem formalismos;

De nada adianta existir processos e fluxos bem estabelecidos, se não existir um sistema adequado que possa ser ajustado para aderir às regras de negócio de nossos clientes.

O grande desafio do Plugin de Gestão de Projetos é oferecer aos nossos clientes um ambiente 100% colaborativo, de modo que as informações essenciais cheguem as pessoas envolvidas. Através desse plugin, nossos clientes podem:

  • Criar solicitações de projeto com fluxos de aprovação;
  • Criar cronogramas dos seus projetos geridos através de baselines;
  • Associar às atividades dos cronogramas, ordens de serviço e ordens de manutenção, para gerenciamento de paradas de processos ou de manutenção, com avanço de atividades realizado em tempo real com associação do Manusis Mobile;
  • Gestão de indicadores tais como IDC – Índice de Custo e IDP – Índice de Prazo;

Como evitar controles paralelos na sua empresa e centralizar tudo no MANUSIS 4.0

Organizar as atividades de manutenção pode ser um grande desafio. Todos concordamos que o uso de softwares pode trazer grandes vantagens nas operações. Muitos gestores, no entanto, acabam utilizando diferentes ferramentas de controle paralelas, mesmo já contando com um sistema de gestão.

Isso pode ocorrer por diversos motivos: deficiências ou alto nível de complexidade da ferramenta adotada, pouco conhecimento sobre o software ou mesmo resistência de adotar o recurso e integrar todos os processos em um só lugar.

Pretendemos aqui mostrar os riscos desse tipo de controle. Entenda também como o Manusis 4.0 pode ajudá-lo a gerenciar as atividades em uma só plataforma de forma simplificada, ágil e sem erros.

Qual o risco dos controles paralelos?

Misturar planilhas, agendas e softwares pode gerar bastante confusão e trazer muitos problemas à gestão. O primeiro deles é a falta de padronização. Anotações avulsas podem ser interpretadas apenas pelo autor, de modo que outros profissionais do negócio não vão entender o que se passa no dia a dia da empresa e as condições dos ativos.

Outro problema grave é a falta de integração e de compartilhamento das informações. Os registros ficam perdidos em diferentes locais, e essa confusão não vai contribuir para a geração de dados que possam embasar as decisões de manutenção. O resultado é a perda de registros, divergências em indicadores e falhas nas operações.

Como o Manusis pode ajudar sua empresa?

O Manusis já vem preparado para a Indústria 4.0, trazendo recursos que agregam ainda mais inteligência às operações de manutenção de ativos. O Manusis 4.0 tem como base as boas práticas preconizadas pelo World Class Manufacturing (WCM). Ele se conecta a CLPs de máquinas e sistemas para automatizar diversos processos. Com isso, a empresa agiliza suas operações e reduz custos, buscando a máxima eficiência operacional e financeira

O software não tem limite de usuários, é 100% web based e conta com um aplicativo mobile para que diversas unidades do negócio possam ser gerenciadas a partir de uma plataforma única.

A eficiência do Manusis também é potencializada com seus plugins e módulos que permitem uma gestão completa da manutenção dos ativos da empresa. Com isso, a organização garante diversas vantagens competitivas:

  • eleva a produtividade dos profissionais;
  • garante um índice maior de disponibilidade dos ativos do negócio;
  • reduz a burocracia da gestão de manutenção;
  • responde mais prontamente a paradas críticas;
  • conta com indicadores de desempenho confiáveis;
  • centraliza as informações de diferentes filiais;
  • por meio de dispositivos IoT, garante um sistema proativo, que coleta informações, detecta falhas e emite alertas inteligentes;
  • prevê tendências e problemas em potencial.
  • visualização de informações em tempo real aumento o poder da tomada de decisões
  • possibilidade de utilização à qualquer momento e em qualquer lugar

O Manusis é um software especialista em gestão de ativos e manutenção. Foi concebido por profissionais do setor, certificados em engenharia de manutenção e confiabilidade de ativos. Dessa forma, conhecem bem a rotina e os problemas enfrentados pelos gestores da área.

Apesar de ser um sistema completo e robusto, ele foi produzido em um ambiente cloud que lhe garante segurança e agilidade ao processamento dos dados. Mesmo no módulo básico já fornece ferramentas para uma gestão completa de todo o ciclo de vida dos ativos.

Com um sistema leve, completo e intuitivo, o gestor não será levado a recorrer a controles paralelos. Mas será fácil integrar as informações, sempre acessíveis, seja na plataforma web, seja no mobile.

Ficou curioso para saber mais dos recursos do Manusis 4.0? Oferecemos a você uma demonstração gratuita! Acesse o nosso portal e faça a sua solicitação agora mesmo!

Saiba como fazer a gestão dos estoques de todas as unidades de sua empresa

A gestão de estoque é uma atividade estratégica essencial para a saúde do negócio, especialmente em tempos de crise econômica e instabilidade no mercado. Esse ativo da empresa pode representar uma fonte de custos, mas também pode gerar mais rentabilidade dependendo da eficiência do gestor.

A dificuldade de otimizar os resultados do setor, porém, é muito difícil quando falamos de organizações com muitas unidades. Além de equilibrar a demanda com a disponibilidade, é necessário gerenciar a logística e diferentes pontos de estoque.

Pensando nisso, vamos apresentar neste artigo as principais práticas do mercado. Entenda também de que maneira um software de gestão, como o Manusis 4.0, é a solução perfeita para integrar esse gerenciamento.

Unifique os dados

Especialmente quando nos referimos ao estoque de unidades, a unificação de sistemas se faz essencial. Essas unidades não podem ser encaradas como extensões do negócio, mas como protagonistas dos processos. Essa unificação precisa ocorrer nos dados de diferentes atividades:

  • estoque e logística: é preciso compartilhar dados sobre o deslocamento de cada mercadoria, a disponibilidade de veículos da frota, bem como sua localização, em alguns casos mais críticos, em tempo real;
  • financeiro: a integração dos dados financeiros entre as diferentes filiais contribuir para que o gestor da matriz possa tomar decisões com base em informações concretas;
  • fiscal: quando o sistema de gestão é unificado, fica mais fácil detectar falhas nos registros e evitar problemas jurídicos, mantendo assim os registros sempre em ordem para uma possível fiscalização.

Monitore dos indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho apresentam de forma detalhada e tangível os resultados das operações de estoque. Por exemplo, é possível entender a composição do estoque, os índices de indisponibilidade (ruptura), os atrasos e o giro de mercadorias. Dessa forma, o gestor consegue propor melhorias para os processos.

Realize inventário em uma frequência adequada

Aqui falamos dos inventários periódicos. Eles são feitos por área do estoque e ajudam a dar maior exatidão ao inventário geral, que é realizado no médio prazo. Assim, é possível identificar problemas mais rapidamente e evitar que falhas se tornem um grande transtorno no futuro.

Livre-se de itens sem giro

Como já pontuamos, os indicadores de desempenho apontam para itens do estoque que apresentam pouco ou nenhum giro. Essas mercadorias se tornam irrelevantes para o negócio e acabam gerando custos desnecessários.

Com esses dados em mãos, promova estratégias para dar um fim a esses produtos, seja por meio de promoções, bonificações ou mesmo doações.

Entenda as vantagens de ter um software como o Manusis para auxiliar na de gestão de estoque de peças sobressalentes contribuindo para a gestão do ciclo de vida de seus ativos

Em todas as boas práticas, percebemos a grande importância da organização, da integração e da agilidade de processos e do compartilhamento de dados. Nesse contexto, ter um  software para fazer a gestão de estoque de sobressalentes é indispensável.

Assim, não precisamos mais discutir se a adoção dessa ferramenta é necessária ou não, mas sim qual solução escolher. Por exemplo, para organizações com unidades, é fundamental que o software suporte o cadastro de multiunidades. Além disso, é preciso dar condições de se conectar a outros ERPs (via APIs, por exemplo).

Outro diferencial é a possibilidade de se adaptar a regras específicas do negócio, uma vez que uma solução rígida pode não atender às necessidades de diferentes empresas.

Assim, a gestão de estoque precisa direcionar seu olhar para ferramentas que possam aprimorar as operações do setor. Afinal, melhorias nessa área se refletem na lucratividade de todo o negócio.

Que tal conhecer experimentar um software de gestão com todas as funções que sua organização e suas filiais precisam? Solicite uma demonstração e conheça o Manusis 4.0! Clique aqui e agende uma videoconferência com nossa equipe de Customer Success!

 

Somos especialistas em Atendimento Remoto

Gostaríamos de informar e ressaltar que o Manusis 4.0, por ser um sistema desenvolvido por profissionais com experiência em gestão de ativos, manutenção e facilities, é um sistema com operação intuitiva e de fácil aprendizagem!

Além disso em nosso CCI – Centro de Controle de Implementação – há uma sala preparada com recursos audiovisuais e uma equipe de implementação para apoiar nossos processos de implementação do Manusis REMOTAMENTE, junto a equipe do cliente.

O nosso foco será ofertar aos nossos clientes os serviços de implementação com a mesma qualidade de serviço, quando presencial.

Análise de Falhas – Para gerar e gerenciar planos de ação

A metodologia de WCM mostra indicadores que apontam que apenas 5% das atividades realizadas ao longo do processo produtivo agregam valor ao produto.

As demais atividades podem ser divididas em 35% que não agregam valor ao produto, mas são necessárias para que o produto possa ser manufaturado, e 60% que podem ser eliminadas, desde que se tomem ações eficazes e inovadoras para isso.

Empresas do ramo automotivo que utilizam o WCM há mais de 5 anos em seus processos já atingiram os seguintes resultados:

  • Aumento em 44% na identificação de perdas em processos produtivos;
  • Redução de 28% em custos logísticos;
  • Aumento de 25% da eficiência operacional;

A Análise de Falhas, conhecida como EWO pelas empresas que utilizam o WCM, é uma ferramenta amplamente utilizada para investigar causas de falhas em equipamentos críticos dos processos produtivos, definir ações de bloqueio e expansão e, assim, impedir perdas de processos.

Utilize as melhores técnicas investigativas para realizar a análise de falhas de equipamentos críticos.

Através de parametrização de dados, no plugin de Análise de Falhas, o sistema sugere, automaticamente, que seja realizada uma análise de falhas em um ativo.

Além do passo a passo para uma análise de falha efetiva, é possível gerar e gerenciar um plano ação e, na sequência, estabelecer um tempo de garantia da efetividade das ações tomadas.

 

Porque ter uma Gestão de manutenção na sua empresa

Em muitas empresas, as manutenções ainda ocorrem em caráter emergencial. Sem uma gestão adequada, as falhas surgem e são corrigidas quando já geraram transtornos ao negócio. Uma gestão da manutenção empresarial serve exatamente para evitar esses episódios.

Neste artigo, você vai conferir os principais benefícios da gestão da manutenção. Descubra por que vale a pena implementar essa cultura!

Traz maior eficiência ao trabalho

Quando um plano de manutenção é aplicado de forma inadequada, causa interrupções desnecessárias no processo produtivo e gera perda de recursos. Por exemplo, convocar um número de funcionários maior do que é necessário representa uma perda financeira.

O gestor precisa entender o negócio e concluir o que é mais importante para definir onde, como e quando uma intervenção precisa ser feita. Uma boa gestão de manutenção garante que todo o trabalho seja bem organizado, evitando transtornos nos demais setores.

Promove intervenções programadas e eficientes

Somente conhecendo como a empresa trabalha é possível agendar manutenções que não interfiram no fluxo dos negócios. Para isso, a gestão leva em conta o nível de prioridade de cada equipamento, avaliando o impacto que cada um tem no funcionamento da empresa.

A gestão da manutenção empresarial ajuda no controle de custos

Ao passo que a empresa define um orçamento para a área de manutenção, o gestor precisa trabalhar dentro do limite e custos disponível. Por outro lado, seu trabalho pode ajudar a reduzir custos dentro da organização. Como assim?

Ao prevenir falhas e indisponibilidades desnecessárias, a gestão consegue eliminar custos originados de reparos mais onerosos. Por exemplo, seja na fabricação de produtos, seja na área de serviços, uma máquina fora do seu funcionamento normal pode consumir mais insumos e energia do que o normal, além de ter reduzido o seu potencial de produção.

Garante a conformidade com as leis

Uma gestão de manutenção contribui para que as tarefas sejam realizadas dentro das normas legais de segurança do trabalho. Por exemplo, pode haver regulamentações que exijam a presença de dois ou mais funcionários para operar uma determinada tarefa, caso contrário, a empresa poderia estar sujeita a multas.

Implementa tecnologias de monitoramento e controle

O gestor da área de manutenção também é responsável por buscar tecnologias que melhorem o controle e o monitoramento das atividades do setor. Por exemplo, existem muitos softwares de gestão integrados a aplicativos em dispositivos móveis que facilitam o preenchimento de formulários, a emissão de ordens de serviço, a troca de dados e o armazenamento das informações. Dessa forma, o gestor pode acompanhar tudo em tempo real, garantindo a agilidade nas atividades de manutenção.

Contribui para uma comunicação mais eficiente

Somente com uma gestão de manutenção empresarial bem organizada é possível implementar mecanismos que facilitem a comunicação rápida entre colaboradores e técnicos, a fim de que as chamadas sejam prontamente atendidas. Uma boa comunicação promove mais engajamento e compromisso a toda a equipe.

Reduz imprevistos e eleva a eficiência operacional

Ao adotar ferramentas avançadas de gerenciamento, o gestor consegue ter em mãos dados suficientes para gerenciar manutenções preditivas e preventivas, reduzindo o número de falhas e paradas em equipamentos.

Com esse monitoramento inteligente, conectado e em tempo real, o gestor terá sempre informações valiosas que vão dar subsídios à tomada de decisões não somente em seu setor, mas em toda a organização.

Uma gestão de manutenção empresarial bem implementada e munida das ferramentas certas é capaz de trazer ganhos estratégicos à empresa. É uma área que precisa ser bem organizada para garantir a segurança e o bom fluxo de trabalho nas demais atividades do negócio.

Gostou do nosso conteúdo? Então, é só assinar newsletter para receber notificações em seu e-mail sempre que tivermos novidades por aqui!

Tipos de Manutenção: tudo o que você precisa saber

A gestão da manutenção é uma atividade essencial para garantir maior disponibilidade, segurança e durabilidade aos ativos da empresa. Existem, no entanto, diferentes tipos de manutenção, e cada um deles apresenta vantagens e desvantagens que precisam ser consideradas pelo gestor.

A NBR 5462 prevê três tipos de manutenção: corretiva, preventiva e preditiva. Muitos profissionais acabam confundindo esses conceitos, o que pode impactar os níveis de disponibilidade, produtividade e confiabilidade da infraestrutura.

Por isso, vamos apresentar esse conceito e de que forma eles se aplicam no trabalho do gestor de manutenção!

Qual a importância da gestão da manutenção?

Quando a gestão da manutenção é bem conduzida, a empresa consegue elevar significativamente a eficiência das suas operações. Entre as principais vantagens, encontramos:

  • maior segurança no trabalho, uma vez que as intervenções podem ser feitas antes que as falhas ocorram, reduzindo o risco de acidentes;
  • melhor eficiência operacional nas máquinas, pois é possível alcançar um melhor desempenho por funcionar em condições ideais;
  • maior vida útil dos equipamentos por adotar práticas de manutenção que dão atenção a cada componente dos ativos;
  • mais motivação na equipe, porque os colaboradores operam com base em análises e soluções de problemas do dia a dia, o que traz maior satisfação no trabalho.

Poderíamos enumerar uma lista enorme de benefícios de uma boa gestão de manutenção, mas entenda que tipos de manutenção é necessário considerar.

Quais os tipos de manutenção?

Manutenção corretiva

Trata-se do mais antigo tipo de manutenção, que ocorre apenas quando ocorre uma quebra, ou mau funcionamento. Assim, é uma intervenção que entra em cena para corrigir falhas para que os equipamentos voltem às suas funções habituais.

Nem sempre elas são conduzidas em momentos de emergência porque elas podem ser feitas também para elevar o desempenho do equipamento, momento em que um estado de falha é detectado, mesmo que ele ainda esteja disponível. Por isso, ela pode ser dividida em dois tipos:

  • planejada: normalmente ocorrem em decorrência de falhas que deixam a máquina sem funcionar, sem a possiblidade de previsão;
  • não planejada: é feita quando os profissionais percebem quedas no desempenho, de modo que é possível programar uma parada para a correção.
Manutenção preventiva

A manutenção preventiva visa evitar que falhas surgem nas máquinas e em seus componentes. Dessa forma, ocorrem de forma periódica para realizar trocas de componentes, avaliar desgastes ou detectar avarias.

Normalmente são programadas seguindo um intervalo específico, como quilometragem, horas de trabalho ou ciclos de operação.

Manutenção preditiva

Essa é uma abordagem na gestão da manutenção mais recente. Utilizam-se parâmetros de controle para fazer intervenções. Para isso, o gestor utiliza softwares e equipamentos específicos para monitorar e avaliar as condições e o desempenho das máquinas em tempo real.

Assim, diferentes sistemas são acompanhados — mecânicos, pneumáticos e hidráulicos —, de modo que qualquer alteração pode ser identificada e investigada para evitar futuras falhas.

É importante que a gestão de manutenção avalie todos os tipos de manutenção e decida qual delas apresenta o melhor custo-benefício considerando a importância de cada máquina nos processos produtivos da empresa.

Em algumas situações, é melhor trocar um componente quebrado do que arcar com custos de monitoramento de uma manutenção preditiva, por exemplo. Em todo o caso, a tecnologia sempre será importante nesse processo, garantindo maior exatidão na tomada de decisões.

Gostou das dicas? Então, assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos na sua caixa de entrada!

Gestão de manutenção e Ativos: Estratégia para maximizar a eficiência na sua organização

O desempenho dos processos industriais está em grande parte relacionado à qualidade da gestão da manutenção. Quedas de performance nos equipamentos podem acarretar atrasos, elevação nos custos de produção e até perda de competitividade no mercado. Por isso, é fundamental buscar uma estratégia para aumentar a eficiência na manutenção de ativos.

Neste artigo você vai entender na prática como as soluções do MANUSIS trouxeram maior eficiência a diferentes empresas por meio de estratégias inteligentes e bem-sucedidas.

A mobilidade como estratégia para aumentar a eficiência na manutenção de ativos

Segundo um estudo encomendado pela Samsung e realizado pela Oxford Economics, 80% dos participantes afirmaram que seus colaboradores não conseguem ser eficientes sem seus smartphones. Três quartos deles afirmaram que os dispositivos móveis são essenciais para o fluxo de trabalho em seus negócios.

Em muitas empresas, a mobilidade é vital para a organização do trabalho. Por que a gestão de manutenção não pode tirar proveito desse recurso? Os smartphones e tablets facilitam a gestão de ordens de serviço, controle e obtenção de indicadores e gerenciamento de informações.

Em um de nossos projetos, uma rede de hospitais de referência gerava mais de 1.500 ordens de manutenção por mês anexadas a outros documentos a fim de informar dados suficientes para execução das atividades dos mantenedores. Eram mais de 7.000 folhas de papel impressas todo mês, com mais de 100 impressoras espalhadas pelas instalações para que a informação chegasse às mãos dos seus técnicos de manutenção.

Para isso, era necessário manter uma equipe de 5 pessoas dedicadas a digitar os dados escritos nas OMs em um sistema de forma a ter informações para tomada decisões. A questão era que, mesmo com todo esse processo, a tomada decisões ainda não existia, pois quando a informação era inserida no sistema, já havia passado de 15 a 20 dias.

Com o Manusis 4.0, os processos de manutenção foram digitalizados. Com isso, os resultados foram surpreendentes:

  • 100% das ordens de manutenção são digitais e processados pelo Manusis Mobile
  • com a funcionalidade de Programação em Tempo Real, usa-se 2/3 do tempo anterior para receber uma ordem e estar no local de execução;
  • a produtividade da equipe de manutenção aumentou em 10%;
  • o ciclo de vida das ordens de manutenção caiu pela metade.

O papel da Industrial Internet of Things na gestão da manutenção

Com a Internet das Coisas, todos os equipamentos e ativos da empresa podem ser conectados a um sistema de gerenciamento para fazer um monitoramento continuado e preciso.

Há mais de 10 anos, uma das maiores empresas mundiais de construção de máquinas pesadas utiliza o Manusis. Há pouco mais de 2 anos, iniciamos um projeto de IIoT — Industrial Internet of Things —, conectando suas principais máquinas ao Manusis.

Esse projeto permitiu o monitoramento em tempo real de seus ativos, detectando falhas, ponto de preditiva e contadores. Ao integrar máquina e software, foi possível implementar conceitos profundos de manutenção pautados em condição e manutenção baseada em tempo, extraindo o máximo da disponibilidade de seus ativos.

Na prática, a própria máquina emite um alerta ao software sobre a existência de uma falha, e o sistema dispara automaticamente uma ordem de manutenção, direcionando para o Manusis Mobile do responsável pela máquina. Esse processo automático reduz o tempo de resposta em mais de 40%.

A eficiência trazida pelo Machine Ledger Digital

O Machine Ledger é um documento com um registro completo sobre o histórico de todos os componentes de um equipamento. Esse gerenciamento é trabalhoso e demorado.

Por exemplo, em um de nossos projetos no segmento automobilístico, o técnico de manutenção tinha que imprimir páginas e páginas de checklist, ir à linha de montagem para executar as atividades do checklist, registrar todos os pontos, voltar ao computador para registrar esse histórico de informações, imprimir um relatório final e voltar a cada máquina para registrar os apontamentos do seu checklist no prontuário (machine ledger) de cada equipamento. Esse processo que levava em média 8 horas para uma linha com 20 ativos principais.

Adicionando o Manusis à essa equação, todo esse processo foi digitalizado, e o tempo médio para execução caiu para 3 horas e meia com a utilização do módulo de Machine Ledger Digital.

Como você pôde perceber, em todos esses casos a adoção de tecnologias inteligentes de monitoramento, de gestão e de automação são essenciais. São a principal estratégia para aumentar a eficiência na manutenção de ativos.

Leve essa eficiência para a sua gestão de manutenção! Experimente gratuitamente o Manusis 4.0 agora mesmo!

pt_PTPortuguês
pt_BRPortuguês do Brasil en_USEnglish pt_PTPortuguês