Tag Archives: Gestão de ativos

24 abr 2018

Quais os melhores indicadores para a Gestão de Ativos?

Entenda os principais ganhos que você pode garantir à sua empresa com a escolha de indicadores de Gestão de Ativos eficientes. Um dos fatores mais determinantes para otimizar o processo de Gestão de Ativos empresariais e industriais é a definição dos KPIs adequados, que expressem dados concretos e possibilitem uma interpretação relevante. Mas o que são os KPIs? A sigla KPI significa, em inglês, Key Performance Indicators ou Indicadores de Performance, em português. Os indicadores de desempenho permitem a definição de metas e a medição dos resultados atingidos em áreas críticas da execução das estratégias. Muitas são as variáveis mensuráveis, mas para resultados mais assertivos, é importante que se defina quais realmente agregam valor ao seu plano de ação. Como definir quais KPIs importam mais? Tendo em mente objetivos, estratégia e plano de ação, defina os KPIs mais relevantes levando em consideração alguns pontos primordiais. Os indicadores devem ser: Apropriados: devem medir precisamente o aspecto operacional que precisa ser medido; Aceitáveis: devem ser considerados por todos; Claros: devem transmitir uma mensagem clara em relação à operação medida; Comparáveis: devem poder ser comparados a dados internos ou externos à empresa; Simples: devem ser fáceis de entender, coletar e interpretar. Deve-se garantir que os indicadores meçam, portanto, a efetividade na aplicação dos processos de manutenção com o intuito de avançar e perpetuar o negócio da organização. Quais os indicadores mais utilizados na gestão da manutenção de ativos? Os KPIs podem variar bruscamente de organização para organização e de meta para meta, mas alguns são encontrados com maior frequência entre os planos de ação nas estratégias de gestão da manutenção, e por isso podem ser considerados alguns dos melhores. São eles:   MTBF (Mean Time Between Failures ou Tempo Médio Entre Falhas): relação entre o produto do número de ativos por seus tempos de operação e o número total de falhas detectadas nesses ativos, no tempo observado; MTTR (Mean Time Between Repair ou Tempo Médio Entre Reparos): relação entre o tempo total de intervenção corretiva em um conjunto de ativos com falha e o número total de falhas detectadas nesses ativos no período observado; A (Availability – Fator disponibilidade): relação entre a diferença do número de horas considerado (horas calendário ou horas de operação efetiva) com a soma do número de horas de intervenção pelo pessoal de manutenção e horas de esperas para cada ativo observado e o número total de horas do período considerado. CMRP (Custo de Manutenção pelo Valor de Reposição): relação entre o custo total de manutenção e a produção total no período; CMFT (Custo de Manutenção por Faturamento): relação entre o custo total de manutenção e o faturamento bruto da empresa no período considerado; CMRP (Custo de Manutenção pelo Valor de Reposição): relação entre o custo total de manutenção de um determinado equipamento e o valor de compra desse equipamento novo. IMSB (Imobilização em Sobressalentes): relação entre o capital imobilizado em sobressalentes e o capital investido em equipamentos. Backlog (Carga futura de trabalho): tempo que a equipe de manutenção deverá trabalhar para executar os serviços pendentes, supondo-se que não cheguem novos pedidos de serviços; TBMP: relação entre o homens-hora gastos em manutenções programadas e os homens-hora disponíveis; TBMC: relação entre homens-hora gastos em manutenções corretivas e os homens-hora disponíveis; TRPM: relação entre homens-hora gastos em treinamento do pessoal de manutenção e os homens-hora disponíveis. Outros indicadores utilizados MP – Cumprimento dos planos de Manutenção Preventiva MPd – Cumprimento dos planos de Manutenção Preditiva GE – Giro do estoque FM – Falta de materiais que afetam os serviços da manutenção IMBA – Custo total de manutenção por ativos imobilizados MO – Custo de mão-de-obra CM – Custo de materiais HHCorretiva – Alocação de mão de obra em serviços de manutenção Corretiva HHPreventiva – Alocação de mão de obra em serviços de manutenção Preventiva HHPreditiva – Alocação de mão de obra em serviços de manutenção Preditiva CP – Cumprimento da Programação AP – Acerto da Programação Para que possamos gerir as informações provenientes à criação dos KPI’s e demais funções da gestão de ativos de forma ágil e otimizada, é importante a utilização de um sistema de Gestão de Ativos eficiente, como o MANUSIS 4.0. Utilizado para auxiliar na melhoria da gestão de ativos, o MANUSIS tem, entre outras funções, fornecer relatórios padrões, pesquisas e questionamentos, mostrando estatísticas sobre custos, desempenho de máquinas, desempenho de linhas produtivas e sobre o que mais se deseje controlar, seguindo as estratégias e características da sua empresa. Conheça AQUI.
16 mar 2018

Gestão de Ativos 4.0: workshop gratuito em São Paulo

A WERT SOLUTIONS promove nos dias 03 e 04 de abril, em São Paulo, o workshop “Gestão de Ativos 4.0 – Como preparar sua organização para o futuro que já começou”.   O evento gratuito será realizado no Espaço de Inovação e Coworking Ahoy Berlim, das 9h às 17h e tem como objetivo apresentar a você os desafios da Gestão de Ativos 4.0 e as novidades do MANUSIS 4.0, software especialista em Gestão de Manutenção e Ativos desenvolvido pela WERT.   Entre os temas abordados, as demandas e expectativas dos profissionais e empresas atentas ao papel estratégico da Gestão de Manutenção e Ativos em sintonia com o que está estabelecido nas normas da série ISO 55.000 (PAS 55).   Para fazer sua inscrição, CLIQUE AQUI.   A WERT conta com uma experiência de 14 anos no mercado brasileiro e mais de 2 anos em países como Argentina, México e Chile. A empresa atua no desenvolvimento de soluções para facilitar e, principalmente, tornar ágeis os processos de gestão de manutenção dos ativos de seus clientes, assegurando a busca pelos melhores indicadores de disponibilidade, mantenabilidade e confiabilidade.   O MANUSIS 4.0 , software de Gestão de Manutenção e Ativos desenvolvido pela empresa, é usado por mais de 100 empresas na América Latina, mais de 200 bases em operação, com 10 mil usuários ativos. Além disso, é utilizado todos os dias por mais de 5 mil mantenedores e já ultrapassou a marca de 1 milhão de ativos gerenciados pelo sistema.   Entre os cases de destaque da WERT, estão multinacionais como Grupo CNHi Latam (Case, New Holland, FPT e Iveco), Comau (Service e Robotics), Grupo Copo, Simoldes (Plásticos e Aços), DSM, Unilever, Electrolux, Cosma, Grupo Knapp, Mars, Otis, Sumitomo, entre outras.     Gestão de Ativos 4.0 – Como preparar sua organização para o futuro que já começou   Quando: 03 e 04 de abril, das 9h às 17h   Onde: Ahoy Berlim – Av. Prof. Manuel José Chaves, 291 – Alto de Pinheiros, São Paulo/SP   03 de abril – Apresentação do MANUSIS 4.0 e novidades; – Apresentação do RoadMap do produto; – Manusis e SAP.   04 de abril – Momento de dúvidas operacionais; – Clube do Cliente – desenvolvimento conjunto de novas funcionalidades.     Fazer inscrição.
26 fev 2018

Por que investir em um sistema EAM se já tenho um sistema ERP?

Entenda a diferença entre sistemas ERP e EAM, e descubra porque eles são parceiros e não concorrentes na gestão de ativos ERPs (Enterprise Resource Planning) são sistemas de informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema (financeiro, compras, estoque, produção, marketing, vendas etc.), possibilitando a automação e armazenamento de todas as informações do negócio. Oferecem, portanto, uma abordagem consolidada em grande escala para rastreamento de processos relacionados aos ativos de uma organização. No entanto, muitas soluções ERP são antigas e não conseguem suportar o volume e o nível de detalhe exigido de dados e transações corporativas que precisam ser processadas. A mudança de requisitos e o aumento da competitividade em setores da indústria como manufatura, transporte e logística e mineração exigem que as empresas gerenciem seus ativos de acordo com padrões mais elevados. E é isso que oferecem os sistemas EAM (Enterprise Asset Management), softwares especificamente projetados para melhorar o desempenho dos ativos, aumentar a vida útil e reduzir os custos nos ativos físicos de uma organização, principalmente edifícios e equipamentos. Ou seja, o uso de apenas um aplicativo ERP para gerenciar ativos pode provocar falhas nas áreas críticas de gerenciamento de ativos da sua empresa, como agendamento, fluxos de trabalho, padronização, benchmarks, indicadores-chave de desempenho, melhores práticas, análises e manutenção preditiva. Para garantir que sua organização seja capaz de maximizar a vida útil dos ativos, minimizar riscos e abrir caminho para análises preditivas, opte pela integração entre o sistema ERP e o sistema EAM para que cada um desempenhe de modo otimizado seu papel. O MANUSIS 4.0 é um sistema de Gestão e Manutenção de Ativos especialista que pode ser integrado a qualquer ERP ou CMMS através de diferentes protocolos de comunicação. Com uma plataforma modular, permite que módulos específicos sejam utilizados de acordo com a necessidade de cada empresa, facilitando o dia-a-dia da manutenção sem a necessidade de substituir completamente o software de gestão de manutenção ou ERP já implementado na sua empresa. Além disso, o MANUSIS permite um fluxo de dados de modo mais simples e ágil, e outras vantagens como:
  • Avaliação abrangente da condição operacional;
  • Acompanhamento integrado de diversas técnicas preditivas;
  • Medição e ajuste dos parâmetros dos ativos monitorados;
  • Análise mais precisa de dados, agilizando a tomada de decisões;
  • Relatórios periódicos que permitem a medição do desempenho e a elaboração de planejamentos a longo prazo;
  • Economia de recursos e aumento da excelência em serviços;
  • Otimização de processos e redução de custos;
  • Soluções adaptáveis às estratégias de manutenção de cada empresa.
CLIQUE AQUI, conheça o Manusis 4.0.
21 fev 2018

Por que investir em um sistema de gestão de ativos?

Entenda a importância de um sistema especialista em gestão de ativos para tornar sua empresa mais competitiva À medida que o volume de dados, o números de ativos e a complexidade das técnicas de análise preditivas aumenta, o tempo necessário para analisar essas informações também é maior. E, em um mercado cada vez mais digital, a velocidade na tomada de decisões se torna sinônimo de melhores índices de produtividade e redução de custos aos negócios. Daí a importância de um sistema especialista em gestão de ativos. Hoje, para oferecer ganhos em termos de confiabilidade operacional, otimização e sustentabilidade, a Gestão de Ativos exige uma análise abrangente e integrada de dados, informações técnicas e históricos de intervenções. Assim, mais do que investir em ferramentas de monitoramento, criou-se a necessidade da adoção de sistemas especialistas e integrados que ofereçam dados e informações adaptáveis à estratégia e à realidade cada organização. Sistemas de gestão de ativos integrados são grandes auxiliares nos processos e fluxos de manutenção de ativos, pois reúnem os dados e as ferramentas necessárias para dar à gerência uma visão mais estratégica do processo produtivo, planejando ações que previnem e corrigem possíveis falhas, garantindo a disponibilidade dos ativos envolvidos na produção. Além disso, entre as vantagens de um sistema de gestão de ativos para indústrias dos mais diversos setores, podemos citar:
  • Melhor gerenciamento de risco;
  • Rastreabilidade dos ativos;
  • Otimização do uso dos ativos em todo seu ciclo de vida;
  • Aumento da disponibilidade dos ativos;
  • Redução dos custos em reparos e aumento de produtividade;
  • Melhoria do planejamento das ações sob os ativos;
  • Reputação corporativa melhorada devido ao aumento de valor para as partes interessadas, melhor negociabilidade para produtos e serviços, alcance e superação das expectativas dos clientes;
  • Qualidade dos serviços prestados aos clientes;
  • Maximização dos resultados da empresa;
  • Segurança e conformidade com as regulamentações;
  • Aumento da capacidade de inovação;
  • Cumprimento com a Responsabilidade Social e Corporativa;
  • Melhoria da sustentabilidade organizacional.
30 jan 2018

As vantagens da mobilidade para a Manutenção de Ativos

Entenda como a mobilidade pode oferecer agilidade e assertividade à sua equipe de manutenção Segundo pesquisa da Qualcomm, em 2019 o número de pessoas usando smartphones chegará a metade da população global (51,2%). Sendo assim, é fácil compreender porque hoje são os dispositivos móveis que ditam as tendências tecnológicas que se estenderão à Gestão e Manutenção de Ativos. Com o avanço da mobilidade, que possibilita o acesso a dados e sistemas por meio destes dispositivos, tarefas como consultar e reportar ordens de serviço agora podem ser realizadas apenas com alguns cliques. Isso é possível por meio de softwares de manutenção de ativos, como o MANUSIS 4.0, que possuem aplicativo mobile. O app permite ao técnico ou engenheiro facilmente obter informações sobre a história de cada ativo, partes e registros que foram utilizadas ou identificar as peças necessárias para o reparo, registro de controle de horas de trabalho e despesas à medida que ocorrem, e ter todas as notas de reparações realizadas. Além disso, oferece: VELOCIDADE E ASSERTIVIDADE – As solicitações podem ser acessadas de qualquer lugar a qualquer hora. Assim, além de não precisar se deslocar, o profissional consegue emitir a ordem de serviço com total precisão e todas as informações necessárias. PRODUTIVIDADE – Além de total controle dos processos, é possível disponibilizar as informações da OS para toda a equipe de manutenção assim que o documento é emitido, o que gera maior agilidade e precisão nas tarefas. CREDIBILIDADE – Com mais assertividade na realização de tarefas, os erros e falhas diminuem e o nível de serviço aumenta. Assim, a equipe de manutenção ganha mais credibilidade dentro da organização. SUSTENTABILIDADE – Papel nunca mais. Com uma solução digital, a necessidade de utilização de materiais impressos diminui significativamente, o que gera economia e sustentabilidade no ambiente empresarial. Saiba mais vantagens sobre a manutenção e gestão de ativos com mobilidade. Baixe aqui gratuitamente um artigo que preparamos sobre o tema.
23 jan 2018

Quais são os itens que compõem o orçamento da Manutenção?

Qualquer setor de uma empresa ou indústria tem como objetivo o cumprimento de metas. Por meio delas, é possível dimensionar a contribuição de cada equipe de trabalho para o desenvolvimento da organização. Na Gestão de Manutenção não é diferente. Afinal, é por meio dela que a eficiência produtiva e a qualidade dos serviços são mantidas, dando suporte, conserto e disponibilidade às máquinas. Entre os principais objetivos dessa área, está a identificação dos principais elementos de custos envolvidos no processo para a economia e adoção de estratégias que aumentem a produtividade e reduzam os gastos. Conheça a seguir os itens essenciais que compõem o orçamento do setor de Gestão de Manutenção e Ativos:
  • Custo de Materiais: são os custos necessários para manter máquinas e equipamentos que fazem parte das linhas de produção, incluindo manutenção preventiva, lubrificação e inspeções. Ex.: despesas com rolamentos, parafusos, correntes, etc.
  • Custos de Mão-de-Obra: previsão de despesas com salários, férias, décimo terceiro salário e demais encargos sociais e previsão de possíveis políticas de reajustes ou aumento de quadro funcional.
  • Custos de Energia Elétrica: normalmente a área de Manutenção é quem faz a previsão de consumo de energia elétrica da empresa como um todo. Independente de como a empresa trata esse custo na composição final dos seus produtos, é importante não esquecer de prever os reajustes por conta das concessionárias.
  • Custos de Serviços Terceirizados: nesse item estão previstas as despesas com serviços de empresas terceirizadas. Podemos citar como exemplo os serviços feitos por contratos já estabelecidos como manutenção predial, serviços de termografia e serviços planejados ou programados durante o ano com assistência técnica, entre outros.
Com o MANUSIS 4.0 sua empresa tem o total controle do orçamento da manutenção e de projetos de ativos de modo dinâmico, comparando suas previsões e o que está sendo efetivamente gasto. CLIQUE AQUI e conheça outras funcionalidades do software.
18 jan 2018

WERT SOLUTIONS passa a atuar no mercado europeu

A WERT SOLUTIONS está sempre em busca de crescimento e expansão de negócios. E em 2018, a grande novidade é que a empresa passa a atuar também em Portugal. De 01 a 10 de fevereiro, o CEO da companhia, Rodrigo Rotondo, estará no país lusitano para prospectar novos clientes e estabelecer networking com empresários locais. O objetivo é a consolidação da marca no mercado europeu e o aumento do volume de negócios globais da empresa. Além disso, atender às demandas e expectativas dos profissionais e empresas atentas ao papel estratégico da Gestão de Manutenção e Ativos em sintonia com o que está estabelecido nas normas da série ISO 55.000 (PAS 55). A WERT conta com uma experiência de 14 anos no mercado brasileiro e mais de 2 anos em países como Argentina, México e Chile. A empresa atua no desenvolvimento de soluções para facilitar e, principalmente, tornar ágeis os processos de gestão de manutenção dos ativos de seus clientes, assegurando a busca pelos melhores indicadores de disponibilidade, mantenabilidade e confiabilidade. O Manusis 4.0 , software de Gestão de Manutenção e Ativos desenvolvido pela empresa, é usado por mais de 100 empresas na América Latina, mais de 200 bases em operação, com 10 mil usuários ativos. Além disso, é utilizado todos os dias por mais de 5 mil mantenedores e já ultrapassou a marca de 1 milhão de ativos gerenciados pelo sistema. Entre os cases de destaque da WERT, estão multinacionais como Grupo CNHi Latam (Case, New Holland, FPT e Iveco), Comau (Service e Robotics), Grupo Copo, Simoldes (Plásticos e Aços), DSM, Unilever, Electrolux, Cosma, Grupo Knapp, Mars, Otis, Sumitomo, entre outras.  
09 jan 2018

A importância da Gestão de Manutenção e Ativos para a agroindústria

O uso da tecnologia no agronegócio já é uma realidade. De acordo com levantamento recente da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), 67% das propriedades agrícolas no país já adotaram algum tipo de inovação tecnológica, dentro ou fora do campo. Responsável por 23% do PIB brasileiro, o agronegócio tem impulsionado a economia e, por isso, é muito importante que as empresas do setor se especializem e conheçam as novas demandas tecnológicas para saírem à frente nesse mercado tão competitivo. Entre as soluções possíveis para essa evolução, talvez a mais importante delas sejam os softwares para a Gestão de Manutenção e Ativos, que asseguram a confiabilidade e disponibilidade de máquinas e equipamentos. Além disso, garantem uma maior qualidade na entrega de produtos e serviços. Útil para o planejamento, implementação de planos de manutenção, padronização de processos e controle de resultados, a Gestão de Ativos realizada por meio de softwares oferece a redução de falhas, custos e desperdícios para o aumento da lucratividade. Além disso, possibilita:
  • A elaboração de procedimentos de acordo com a prioridade dos processos e criticidade dos equipamentos;
  • A proposição de melhorias baseadas em investigações de causas de quebras e paradas dos processos produtivos;
  • A normatização de procedimentos, treinamentos, componentes e sobressalentes;
  • A elaboração de políticas de manutenção preditivas e o gerenciamento de custos;
  • Maior agilidade e flexibilidade na obtenção de informações gerenciais da manutenção por meio da criação de um banco de dados com históricos das ações da manutenção nos ativos de processo;
  • E muito mais!
CLIQUE AQUI e conheça o MANUSIS 4.0, um software especialista da WERT SOLUTIONS com aplicativo mobile que permite a gestão integrada de um conjunto de serviços em uma única plataforma, além do controle de todos os processos envolvidos.
27 out 2017

Os 5 princípios da Indústria 4.0

Os cinco princípios pensados para o desenvolvimento e a implantação da Indústria 4.0  definem os sistemas de produção inteligentes que deverão surgir nos próximos anos. Confira cada um deles: 1 – Capacidade de operação em tempo real: aquisição e tratamento de dados instantaneamente. Responsável por permitir a tomada de decisões em tempo real.
  1. Virtualização: é a continuidade e evolução das simulações já existentes. A proposta aqui é a produção de cópias virtuais das fábricas inteligentes, que irão permitir a rastreabilidade e monitoramento remoto de todos os processos através de sensores espalhados ao longo da planta.
  2. Descentralização: a tomada de decisões será feita pelo sistema cyber-físico de acordo com as necessidades da produção em tempo real; as máquinas receberão comandos e fornecerão informações sobre seu ciclo de trabalho. Assim será possível que os módulos da fábrica inteligente trabalhem de forma descentralizada e tenham a oportunidade de aprimorar os processos de produção.
  3. Orientação a serviços: utilização de arquiteturas de software orientadas a serviços aliado ao conceito de Internet of Services.
  4. Modularidade: produção de acordo com a demanda, acoplamento e desacoplamento de módulos na produção. Resultado de maior flexibilidade para alterar as tarefas das máquinas facilmente.
Leia também no blog da WERT Solutions: como a Indústria 4.0 impacta o futuro da Manutenção e Gestão de Ativos?
18 out 2017

A importância da mobilidade para a Manutenção e Gestão de Ativos

Organização de agenda, envio de e-mails e mensagens instantâneas, transações bancárias, jogos, check-ins. Hoje, fazemos absolutamente tudo pela tela de nossos celulares ou tablets. Esta possibilidade de acesso a dados e sistemas por meio de dispositivos móveis é conhecida como mobilidade, uma revolução ocorrida a partir do surgimento da Web 2.0 e que está transformando, também, a área de Gestão e Manutenção de Ativos. Muitas vezes, o termo mobilidade soa como antônimo dos processos tradicionais de gestão. Isso porque, mesmo com o advento de processos computadorizados, softwares de gestão e ERP’s, ainda há organizações que adotam métodos de gestão já obsoletos. Na era da informação, a manutenção de ativos precisa ser ágil e assertiva ao oferecer informações precisas para os gestores, aumentando assim a produtividade e a capacidade competitiva das organizações. Para isso, a Wert Solutions desenvolveu o Manusis 4.0, um software especialista de manutenção de ativos que proporciona a realização de processos de qualquer lugar e a qualquer hora, diminuindo os espaços de tempo entre manutenções e evitando paradas inesperadas. Com o uso do Manusis 4.0, você pode:
  • Logar no sistema utilizando as credenciais criadas no sistema web;
  • Abrir nova Ordem de Manutenção;
  • Visualizar Ordens de Manutenção abertas no sistema web;
  • Apontar tempo de mão-de-obra na OM;
  • Apontar tempo de parada de máquina na OM;
  • Apontar Falha, Causa e Solução na OM;
  • Realizar preventivas e rotas com apontamento de OK / Não OK de atividades;
  • Abrir pendências na OM;
  • Fechar Ordens de Manutenção;
  • Operar o sistema nos modos on-line ou off-line;
  • Acessar a interface de monitoramento no Manusis 4.0 para gestão visual das ordens de manutenção, status das mesmas e visualização de qual técnico está atendendo à OM.
Saiba mais vantagens sobre a manutenção e gestão de ativos com mobilidade. Baixe aqui gratuitamente um artigo que preparamos sobre o tema.
Copyright © 2016. Manusis 4.0. Todos os direitos reservados. Agência Cupola.